terça-feira, 14 de agosto de 2012

Um Novo Azrael?


Créditos totais ao terrazero,para ler o artigo original clique no link http://www.terrazero.com.br/v2/2012/08/talon-e-o-azrael-que-pode-dar-certo/
[o artigo abaixo contém spoilers]
Todo mundo já viu esta história antes. Um dia, o Batman foi quebrado por um vilão psicológica e fisicamente mais forte que ele, passando seu manto para um cara novo, treinado por uma instituição sinistra e secular. Ontem foi Azrael, da Ordem de São Dumas. Hoje é um Talon, da Corte das Corujas – e o Batman nem precisou se arrebentar (ou desistir temporariamente de sua identidade mascarada) pra isso acontecer.

Talon #0, capa de Guillem March
A um mes da estreia da nova mensal do soldado renegado das Corujas, a revista ainda está dizendo pouco a que veio. Fãs mais atentos perceberam que Scott Snyder, atualmente o nome que mais faz vender na DC Comics com Batman, Monstro do Pântano e Vampiro Americano, está envolvido no projeto. Claro, criador do conceito, o autor automaticamente estaria interligado a este processo, mesmo que fosse creditado apenas para dar alguma credibilidade ao novo spinoff de Batman comandado pelo novato (e aluno de Snyder quando este ensinada escrita na Sarah Lawrence College) James Tynion IV. Foi mais ou menos o que aconteceu com Azrael.
Nos anos 1990, quando o personagem foi derrubado pelo próprio (e recuperado) Bruce Wayne, o anti-herói acabou assumindo uma postura um pouco mais altruísta, mas a credibilidade aos olhos exigentes dos leitores só seria alcançada caso seu próprio criador liderasse a nova revista homônima. Portanto, ninguém menos que o lendário escritor e editor da linha Batman, Dennis O’Neil, assumiu Azrael. A ideia durou pouco menos de 10 anos e Azrael foi morto. Sua marca, abandonada, até simplesmente desaparecer da cronologia do Batman.

Azrael em sua forma clássica
Ainda que tenha voltado com uma nova roupagem nos últimos anos, a ideia por trás de Azrael (que parecia boa) não conseguiu se sustentar, e mais uma vez o herói foi vítima do temido machado do cancelamento. Sua antiga versão não sabia exatamente quem era, vivendo em constante conflito entre suas crenças e os programas cerebrais implantados pela Ordem (tudo somado ao fato de ele não saber quem era de verdade como pessoa e como ajudante do Homem-Morcego). Na nova versão, mal houve exploração – o cancelamento veio antes.
Era o fim, especialmente pelo Relaunch – renovação esta que abriu uma porta para um novo Azrael aparecer: o Talon, criado com o intuito de aproveitar o sucesso da Corte das Corujas mas de não repetir o erro de duas décadas atrás. Desta vez, pelo pouco que foi dito até o momento, o Talon parece tentar seguir uma linha diferente, para que consiga tomar sua própria forma e seguir um caminho mais longínquo.

Um dos Talons vistos nas revistas do Batman
Chamado de Calvin Rose, o personagem parece ter uma identidade mais definida. A temática também será diferente, já que o leitor lidará com uma pessoa em constante fuga daqueles que o treinaram para cumprir sua missão auto imposta de ajudar quem precisa – e, quem sabe, fazer o que nem o Batman conseguiu direito ao derrubar todo o legado da Corte pra sempre.

Última versão do Azrael
Parece ser uma boa história. James é um escritor novo e com talento, escolhido pessoalmente por Snyder por ser um de seus grandes pupilos. E se tem uma coisa que a DC ensinou que funciona em seu mundo ficcional é o conceito de legado. Tomara que dê certo no mundo real também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário